Publicado por: revistainternacionaldoconhecimento | 05/08/2010

SONETO – Visão Fantástica , José de Oliveira Lima

Visão Fantástica , José de Oliveira Lima

 

                                       *

Chove.  Bate o Poder em minha porta.

Levanto e, sem temor , abro o postigo.

Sinto em seu rosto a dor que traz consigo,

Ele em mim sente a paz que me conforta.

 

                                      **

     

Um vento frio as nossas faces corta

E eu corto , do poder , só por castigo,

Toda promessa que do incauto “ amigo”

Pudesse, enfim, partir. Já não me importa

                  

                                      ***

                

O vil metal , a fama, a  própria sorte .

Nada que venha me fazer mais forte

Ou conquistar aquilo que sonhamos.

 

A mim só resta a busca da verdade,

Qual o enigma da esfinge, a Eternidade.

De onde viemos nós  ?   para onde vamos ? 

 

      


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: