Publicado por: revistainternacionaldoconhecimento | 05/08/2010

SONETO – Burro Santo , José de Oliveira Lima

Burro Santo , José de Oliveira Lima

                                              

                                   *

Sempre aos domingos, um velho santeiro,

Com seu burrinho chega ao povoado,

Carregado de santo milagreiro

Que vende aos seus fregueses no mercado.

                                   **

Todos se curvam, quando o burro arteiro

Passa, solene , todo pavonado ,

A receber,  soturno, de um romeiro

Pedido para um santo destinado.

                                   ***

Na volta para casa, já sem santo,

O pobre burro sofre o desencanto

Das vênias que lhe faltam por inteiro.

 

 

Quanta , gente, meu Deus, se vangloria

Com o encargo que tem no dia-a-dia,

Como o burro simplório do santeiro.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: